Machado de Assis: 178 anos

Machado_de_Assis_aos_57_anos.jpg
Machado de Assis com 57 anos.

No dia 21 de Junho de 1839 nascia em um morro carioca Joaquim Maria Machado de Assis. Confesso que o que sei da vida desse escritor, aprendi por retalhos de leitura em diversos lugares, algumas boas aulas de literatura no colégio e por alguns debates em clubes do livro que participo. Ainda longe de ser um especialista em sua vida e obra. Existem aqueles que amam seu trabalho, outros que não conseguem mais ler o português do Século XIX, mesmo escrito pelas mãos de um de seus maiores artífices. 

bras cubas.jpg
Reginald Faria como Brás Cubas

Como disse, li Machado ainda no colégio, o primeiro livro foi Memórias Póstumas de Brás Cubas. Bem diferente de tudo que já havia lido (desde aquela época já era um leitor voraz e muito curioso). Me surpreendi com o autor defunto, ou defunto autor narrando sua vida de maneira nada convencional, com personagens carismáticos e com um senso de humor muito peculiar, assim fui cativado. Ainda tive a sorte de na mesma época assistir um filme de 2001, com a atuação sensacional de Reginaldo Faria como Brás Cubas.

Alguns anos depois, veio a minissérie Capitu, que despertou em muitas pessoas a vontade de conhecer mais sobre Dom Casmurro, o livro que inspirou a adaptação televisiva. Com incrível direção de arte, grande elenco e ao som de Elephant Gun do cantor Beirut. Resolvi ler o livro em meio a toda essa atmosfera, e o resultado foi parecido quando estamos apaixonados platonicamente. Ouvia muitas vezes a música tema, E lia trechos do livro. Por momento fui um Bentinho, e o livro era a Capitu, me olhando com seus olhos de cigana oblíqua e dissimulada. Existe uma questão famosa que é a eterna dúvida se Capitu traiu ou não Bentinho. Não considero isso um spoiler, na verdade o livro é bem mais que essa questão (existem debates bem mais interessantes, em outras camadas do livro, um dia falarei mais sobre isso). Apesar desse debate ser popular ainda hoje e de já ter gerado muitos trabalhos acadêmicos, pesquisas, debates e até brigas.

50b9aa76a85bf994b425b221e9e0772b.jpg
Bentinho e Capitu (Adaptação de 2008)

Machado de Assis é um dos raros casos em que a sua vida consegue ser tão interessante quanto a sua obra literária. Pretendo voltar a falar do autor, quem sabe revistar Brás Cubas, Bentinho e Capitu. Conhecer melhor Quincas Borba, dentre outros personagens que aguardam ansiosos para povoar nossa mente com suas histórias.

1a9095f86dcb88dfd3ffeebea3adbdd6.jpg

Abaixo uma lista de livros disponíveis para compra no site da Amazon Brasil (os dois primeiros estão por 1,99 quando escrevi esse artigo).

  

  

 

  

capitu1

Até a próxima!

https://www.instagram.com/antoniopimenta86/

https://www.facebook.com/antoniopimentablog/

PicPay: antoniopimenta86

 

Anúncios

9 comentários Adicione o seu

  1. Suzi Caldas disse:

    Adooooorei seu blog! Parabéns!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Jair Vargas disse:

    Sem dúvidas, um dos escritores que gosto muito 🙂

    Curtido por 1 pessoa

    1. Jair, tenho vontade de ler mais Machado. O pouco que li até agora já me encantou!

      Curtido por 1 pessoa

      1. Jair Vargas disse:

        Tenho certeza que você ficará mais encantado ainda 🙂 foi por causa de um dos livros dele que decidi me lançar aos ‘escritos’ 😄

        Curtir

  3. Fabrício disse:

    Machado é bem interessante. Ótimo escritor, talvez o mais reconhecido da literatura brasileira, tendo passado pelas diversos estilos literários, do romance, a cronica e a poesia. Seus escritos são ricos atemporais por falarem um pouco da personalidade das pessoas. Criou o sentido de Imortal se tornando ele a principal referencia ao criar uma casa de estudos sobre literatura intitulando assim esta de Academia Brasileira de Letras.
    Comecei também lendo Memorias Póstumas e achei incrível.
    Vi o filme realmente muito bom. Com a direção de André Klotzel e excelente interpretação de Reginaldo Farias, com outros atores conhecidos como Otávio Muller, até mesmo Sonia Braga. Mas lá também aparece um personagem curioso, uma amigo de infância de Brás chamado Quincas Borba. Quincas, interpretado por ninguém menos que Marcos Caruso, na historia aparece como mendigo roubando o relógio do nosso herói depois de uma conversa mole.
    Este outro livro também muito bom de titulo Quincas Borba embarca em um roteiro de enriquecimento repentino, uma tal filosofia humanista que o personagem inventa, loucura e outras coisas.
    Já a série da Globo, Capitu, realmente excelente, foi dirigida por ninguém menos que Luis Fernando Carvalho. Carvalho já adaptou obras de autores como Guimarães Rosa, Ariano Suassuna, José Lins Rego, Eça de Queiros, Milton Hatoum, Benedito Ruy Barbosa, Jorge Amado, Raduan Nassar e muitos outros. Tem a direção de obras novelas como Rei do Gado, Velho Chico; séries como Os Maias (que me marcou pela trilha A Cantiga do pastor da banda Madredeus), Afinal o que querem as mulheres, Dois Irmãos, Hoje é dia de Maria, Capitu; além é claro, da premiada obra o filme Lavoura Arcaica. Tem um lista bem mais extensa do que quantidade, mas também a qualidade das obras.
    A série Capitu foi muito bonita mesmo, com ótima trilha musical, como a de Os Maias. Baseado no livro Dom Casmurro o livro é uma das obras pimas do autor. A cena que mais me marcou e que recebeu ótimas criticas foi a do primeiro beijo de Bentinho (deixo o link abaixo).
    Para vestibular, outras obras do Bruxo do Cosme Velho também ficaram conhecidas. Já Esaú e Jacó remete um pouco ao livro Dois Irmãos por também tratar de divergências entre irmãos gêmeos, aqueles que acompanharam as criticas da saga da série sabem o que falo. Além dos livros os contos também abriram um pequeno contato com os jovens em obras menores e mais leves (assim como os famoso os Lusiadas, em que a cada ano se trocava o capitulo estudado). O mais famoso conto é O Alienista, que do cientificismo no inicio do século e o tratamento dos loucos. Outros contos muito bom é a Igreja do Diabo sobre lealdade das pessoas. Outros menos conhecidos como A Cartomante, Missa do Galo, Capitulo dos Chapéus também trazem um gosto bom. Ainda não li todos e tenho muito ainda pra ler.
    Pesquisadores até hoje ainda traçam teorias sobre suas obras. Também vão sendo adaptadas as telas por outras emissoras os seus trabalhos ou para o teatro, além é claro, de quadrinhos e outras formas de comunicação que ajudam a estimular desde cedo a curiosidade e o desejo por essas boas historias.
    Vida longa ao nosso bruxo brasileiro.

    Curtir

    1. Fabrício, teus comentários são sempre muito bons de ler. Agradeço por acrescentar tanta coisa interessante! Espero ler mais livros do Machado em breve, bem como de outros autores nacionais que andam bem esquecidos. Abraços 😀

      Curtir

  4. Fabrício disse:

    Achei muito bom também o blog Café Poetísa – Blog Literário. Fez uma boa resenha sobre o filem da Mulher Maravilha e deixou indicado teu blog.
    Deixo aqui também a bela resenha que encontrei, do mesmo blog, sobre o livro Helena de Machado de Assis. Já que estamos falando do velho bruxo, vamos ampliar as indicações de livro. Fica a recomendação do livro, que vou procurar também.
    https://cafepoetisa.wordpress.com/2015/09/22/resenha-helena/comment-page-1/#comment-33

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s