Sob os Olhos do Delírio por Fábio de Andrade

Sinopse O que um senhor solitário assistindo uma garotinha sendo dilacerada por um demônio saltitante, um velho apaixonado e Nikolai, o enfermeiro do hospício Muskov, têm em comum? Nessa antologia, Fábio de Andrade afoga seus leitores em um mar de agonia enquanto os três infelizes protagonistas só conseguem distinguir a vida da morte enquanto o…

Névoa por Lenmarck Andrade

“Não há lápides, ele se lembrou ao encarar o campo uniforme coberto por uma camada de neblina. Os mortos devem ser esquecidos aqui.” Lílian morre. John recebe uma carta com o lacre violado, informando da morte, enquanto é consolado por Padre Manoel. Ele está envolto em lembranças do passado e o padre diz que é…

Agonia por Igor Quadros

Atenção!! Se você ler esse livro, irá dormir de luz acesa por várias noites (não me responsabilizo pela conta). “Na cama onde ele deveria estar deitado, moscas e larvas, contorciam-se a produzirem um zumbido chato, que lembrava uma risada debochada.” Trecho de Agonia. Uma criança diz para mãe que tem um bicho em seu quarto….

Resenha: Putrefação de Andrei Simões

Sinopse Do Dicionário Aurélio: “Putrefação [Do lat. putrefactione] 1. Decomposição das matérias orgânicas pela ação das enzimas microbianas. 2. Estado de putrefação: apodrecimento, corrupção.” Mas esta palavra pode alcançar significados que vão muito além dos literalismos. Um homem consciente e preso ao seu corpo, apodrecendo a sete palmos enquanto tenta lembrar de uma vida que…

FliPA: Feira Literária do Pará #2016

FliPA #2016 A Feira Literária do Pará ou Flipa vem sendo realizada desde 2014, e cresce a cada ano, contando com mais de uma centena de escritores. Uma ótima oportunidade de aproximar os autores com o público, seja ele infantil, juvenil ou adulto. Realizada na Fox, reduto para amantes de literatura na capital Paraense, conta…

Resenha: Visagens e Assombrações de Belém de Walcyr Monteiro

Resenha Me lembro que a primeira história que ouvi e me deixou com medo foi a da Matinta Pereira, que aparecia na porta das casas pedindo tabaco, e seu assobio muito característico “Firififififiiuu”. Difícil você morar em Belém do Pará e não ter escutado essa e outras tantas lendas e histórias de visagens e assombrações,…